navbar

FACEGULAG: Facebook bloqueia páginas da Rádio Vox e de João Spacca no dia do lançamento do Manifesto Cartunista

Neste sábado, 26 de agosto, é o dia do lançamento do livro Manifesto Cartunista, de João Spacca. O evento que já está sendo divulgado há algumas semanas nas nossas mídias sociais,  será realizado na Gibiteria, em São Paulo. Nessa manhã de sábado, ao tentarmos utilizar nossas contas do Facebook, mal conseguimos carregar nossas páginas, sob um pretexto de alguma dificuldade técnica. Não conseguimos realizar nenhuma postagem referente ao evento e muito menos abrir nossa caixa de mensagens. Essa também não é a primeira vez que o sistema de controle social globalista apronta uma dessas contra a Rádio Vox e seus colaboradores e deixam mais as suspeitas que os mais de R$ 100 MILHÕES dado pelo governo federal do PT/PMDB como verbas de “propagandas estatais” criaram um dos mais eficientes sistemas de monitoração e coleta de dados da sociedade brasileira, a serviço do Estado totalitário brasileiro.

ditadura-facebook

Facebook fatura R$ 44,6 milhões com publicidade do governo federal em 2015

Valor é quase igual ao recebido pelos 4 principais jornais brasileiros  

Gasto federal em mídias sociais quadruplicou de 2013 a 2015

Twitter teve 12,1 milhões ­­–172% a mais do que a cifra de  2014  

Google e YouTube perderam terreno nas verbas de propaganda estatal

O Facebook recebeu R$ 44,6 milhões em publicidade estatal federal em 2015. Trata-se de um crescimento de 68,5% sobre o valor arrecadado em 2014.

Os dados inéditos obtidos pelo UOL por meio da Lei de Acesso à Informação mostram que a rede social de Mark Zuckerberg teve um crescimento meteórico no mercado publicitário estatal brasileiro nos últimos anos.

Em 2010, quando a União começou a fazer propaganda no Facebook, foram investidos modestos R$ 8.100 –somando tudo o que foi gasto pelas administrações direta (Planalto e ministérios) e indireta (todas as estatais). No ano seguinte, em 2011, a rede social já liderava o faturamento do meio “redes sociais” com publicidade estatal, recebendo R$ 1,5 milhão.

O valor investido em redes sociais cresce sem parar desde 2010, mimetizando o que se passa também com a publicidade do setor privado. De 2013 a 2015, a verba repassada quase quadruplicou: de R$ 15,7 milhões para R$ 60,5 milhões.

A crise fiscal, entretanto, indica que os investimentos do governo federal em publicidade estatal devem cair em 2016. Até abril deste ano, o segmento ganhou R$ 8 milhões do governo dilmista. Caso se mantenha essa proporção para o restante do ano, o valor investido em propaganda estatal em redes sociais deve cair para cerca de R$ 24 milhões –menor montante desde 2013.

Os dados estão na tabela abaixo (clique na imagem para ampliar):

redes-sociaismetodologia-redes-sociais

O volume recebido pelo Facebook em 2015 reforça ainda mais a transformação que a indústria de comunicação atravessa neste momento em vários países. As novas plataformas atraem em alguns casos muito mais anúncios do que os veículos tradicionais de mídia, que tinham o domínio do mercado durante as últimas décadas.

As verbas publicitárias federais destinadas ao Facebook no ano passado (R$ 44,6 milhões) são quase as mesmas recebidas pelos 4 principais jornais impressos brasileiros juntos (Globo, Folha, Estadão e Valor): R$ 46,4 milhões.

A rede social de Mark Zuckerberg também faturou 193% a mais em publicidade federal do que o UOL, um dos portais de maior audiência do país. O UOL teve R$ 20,7 milhões desse tipo de verba em 2015.

email

, , , , , , , , , , ,

  • nathanael giglio

    Boa noite à todos !