navbar

Um país bandido

TELEFONE/ WHATSAPP/TELEGRAM: 11 981587762
www.radiovox.org/player/
https://t.me/radio_vox

VIDEVERSUS_10062017

Defesa de Temer diz que Joesley é “criminoso notório de maior sucesso”

O presidente Michel Temer ajuizou processo nesta segunda-feira (19) contra o empresário bucaneiro caipira Joesley Batista, da JBS, por danos morais e crimes contra a honra, como calúnia, difamação e injúria. No processo, a defesa do peemedebista afirma que o empresário é “o criminoso notório de maior sucesso na história brasileira” e faz críticas aos benefícios obtidos por ele em acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público. Joesley conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no Exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios”, criticou.

Segundo o advogado Renato Oliveira Ramos, que assina as ações civil e penal contra o empresário, o real objetivo do empresário bucaneiro caipira Joesley Batista foi “obter o perdão dos inúmeros crimes que cometeu, por meio de um generoso acordo de delação premiada que o mantenha livre de quaisquer acusações, vivendo fora do País com um substancial (e suspeito) patrimônio”. Temer decidiu processar o empresário bucaneiro caipira Joesley Batista neste fim de semana, após o sócio do grupo J&F afirmar que o peemedebista lidera a “maior organização criminosa do País”. No sábado (17), o presidente divulgou uma nota em que diz que o governo “não será impedido de apurar” crimes praticados pelo empresário bucaneiro caipira Joesley.

A defesa afirmou ainda que as acusações são baseadas em “gravação clandestina e direcionada” e que o executivo passou, de uma hora para outra, a “incorporar papel de um empresário sério e indignado com a corrupção”, apesar de desconsiderar “que foi a corrupção que o tornou um grande empresário”. “Somente agora, quando seus crimes estavam sendo investigados e a sua prisão era iminente, que o querelado passou desesperadamente a acusar algumas autoridades do País, inclusive o presidente, em busca única e exclusivamente de um tipo de salvo-conduto”, disse.

Ela acusa ainda o empresário bucaneiro Joesley Batista de ter protegido aqueles que foram os seus “reais parceiros de sua trajetória de pilhagens”, em uma referências aos governos petistas. E diz que Joesley Batista tenta amenizar com a entrevista as críticas feitas pela opinião pública ao acordo de delação premiada fechado com o Ministério Público. Segundo o advogado, o empresário demonstrou em entrevista “nítida vontade” de difamar o presidente, “menosprezando-o perante o público”. “São informações falsas, criadas com o único e exclusivo propósito de abalar a credibilidade do presidente”, disse.

A defesa protocolou duas ações, uma civil e uma penal, em Brasília. Ela pretende indicar uma instituição de caridade para doar o valor da indenização caso vença os processos judiciais. Por enquanto, a defesa do presidente não vai pedir um valor de indenização, mas caso o juiz indique que pode especificar um montante, os advogados indicarão a mesma quantia em uma emenda ao processo. Temer acredita que o Ministério Público Federal vai utilizar as novas declarações do empresário para “reconstruir” a base da denúncia que deve ser apresentada contra o presidente nos próximos dias.

O peemedebista é investigado por corrupção, obstrução de justiça e formação de organização criminosa. O empresário bucaneiro petista Joesley Batista afirma que Temer sabia e deu aval para a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso desde o ano passado, para que ele não os delatasse. Na nota, Temer acusa Joesley de “desfiar mentiras em série”, proteger “estrategicamente” o PT e critica a impunidade conferida ao empresário, em uma referência indireta à Procuradoria-Geral da República e seu comandante, Rodrigo Janot.

 

Governo Temer revela nome de espião americano da CIA no Brasil

O GSI (Gabinete de Segurança Institucional), órgão do Palácio do Planalto responsável pela área de inteligência do governo federal, revelou o nome de um graduado agente da CIA, o serviço secreto norte-americano, ao publicar seu nome e posto na agenda pública de visitas. Segundo a lista de compromissos do ministro-chefe do GSI, o general Sérgio Etchegoyen, divulgada no site do GSI na internet no dia 9 de junho passado, Duyane Norman era ou é o “chefe do posto da CIA em Brasília”.
A indiscrição do governo brasileiro foi revelada, nesta segunda-feira (19), por João Augusto de Castro Neves em uma rede social. O GSI afirmou que Norman “realizou uma visita de cortesia ao ministro do GSI por estar retornando aos Estados Unidos após o término de sua missão no Brasil”. Segundo o GSI, a agenda do ministro “é um dos instrumentos da transparência ativa” prevista na Lei de Acesso à Informação, de 2012, e “nas audiências são registrados os nomes e os cargos das autoridades, observando-se, sem exceção, o princípio da publicidade previsto no artigo 37 da Constituição” brasileira.
Em uma rede social, uma pessoa com o mesmo nome se apresenta como morador de Brasília e funcionário da área de política do Departamento de Estado norte-americano, mas nada cita sobre a CIA. Informa ainda que ele estudou arte e assuntos de América Latina na Universidade Vanderbilt, em Nashville (EUA). Uma busca pelo nome de Duyane Norman na internet revela que uma segunda agenda oficial relacionou seu nome à CIA no Brasil. Em 11 de julho de 2016, Norman e outra pessoa, Joseph Direnzo, foram recebidos pelo diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra, na sede da Polícia Federal em Brasília. A agenda pública cita os dois nomes ao lado da expressão “CIA”.
A divulgação do nome do chefe da CIA no Brasil foi recebida com estranheza e encarada como um erro. O chefe do escritório da CIA coordena todos os espiões americanos no País. O governo americano nunca admite a existência de um escritório da CIA em um país. E não revela os nomes dos chefes do escritório, a não ser para o alto escalão de inteligência do país onde está o escritório. Em outros países, a revelação da identidade do chefe do escritório da CIA gerou graves problemas. No Paquistão, os serviços secretos do governo vazaram para a imprensa, em 2011, o nome do chefe da agência no país, e os jornais publicaram. O funcionário americano recebeu ameaças de morte e teve de deixar o país.
Em 2014, a Casa Branca revelou, por acidente, o nome do chefe da CIA no Afeganistão em um e-mail para 6 mil jornalistas. O funcionário chefiava centenas de espiões no país, que abrigava um dos maiores escritórios da CIA no mundo. O governo não quis informar se o funcionário teve de deixar o posto.
email

, , , , , ,

  • Filipe Raia

    Faaala galera, boa noite Alex, Vitor, e amigos!

  • nathanael giglio

    Boa noite à todos !

  • Layon Maciel da Silva

    Bodhy náiguithi para todos!

  • Edson Ricardo

    Olá, boa noite a todos. Boa noite Alex e Vitor Vieira, meu colunista preferido.

  • Marco Silveira

    Boa noite Alex,Vitor e amigos da radio vox !

  • Oderian Aulas
    • Edson Ricardo

      O nome da minha rede wifi é True_Outspeak kkkk. Para o desespero dos meus vizinhos mortadelas.

      • Oderian Aulas

        Hahahaha.

  • nathanael giglio

    Vitor …a fundação do Estado de Israel é do ano de 1.948 !!

  • nathanael giglio

    Alex Pereira …bastaria Gal. Mascarenhas de Morais e Gal. Mourão !!

  • Pedro Talita

    boa noite Alex e Vitor. Tamo junto

  • Oderian Aulas

    A grande desgraça do Brasil é a destruição da Semântica. Dar aulas para brasileiros se transformou num trabalho hercúleo. A linguagem está toda brutalizada. É uma coisa maligna.

  • Edson Ricardo

    Eu queria perguntar pro general Vidas Boas como eles fazem pra sobrevier devolvendo 6 meses dos seus salários para o governo e continuam vivendo bem e felizes da vida.

    • Oderian Aulas

      Pois é, né? Ninguém dá conta de nos explicar isso.

  • nathanael giglio
  • Edson Ricardo

    Já não fui votar em 2016 simplesmente porque não saio mais de casa pra votar em partidos de esquerda como todos são. Se o Bolsonaro conseguir se candidatar, algo que eu não acredito, vou as urnas fazer uma “fézinha” para votar na “pessoa” Bolsonaro mesmo não confiando nessas urnas, vai que dá né.

  • Oderian Aulas

    Pesquisei agora na Estante Virtual. Só tem no Rio Grande Sul esse livro do Joseph Love.

  • Oderian Aulas

    Eu tenho uma aluna desta faixa de idade que o Vitor citou. Que também quer fazer Medicina. A garotinha tem inteligência e vontade raras. É um um encanto dar aulas para uma jovem assim.

  • Edson Ricardo

    anastasia?