navbar

Sócrates e o senso de eternidade

O programa de hoje falará sobre Sócrates e o senso da eternidade, aquilo que os filósofos da natureza não tinham. O programa introduzirá o tema da eternidade e da condenação do filósofo ateniense, partindo do fato de que o jovem Sócrates, consciente ou inconscientemente, sabia que o sentido da realidade física não estava na própria realidade física, mas, além dela.

Enfocaremos a figura de um jovem filósofo que, desde seus primeiros passos pela filosofia, já demostrava desprezo ao vozerio humano, algo que podemos hoje definir como “mundo”, ou, “mundaneidade”, concentrando sua atenção ao que denominamos “eterno”, tendo em vista um conhecimento universal para os problemas humanos.

Este filósofo, contudo, foi condenado à morte por seus conterrâneos, fato este que introduziremos como um enigma, ou, uma dicotomia a ser resolvida daqui para frente. Esperando que seja de bom proveito, congratulo-me com todos os ouvintes, desejando a todos uma ótima audição. Um abraço a todos.

Socrates

 

email

, , , , ,

  • http://joaoemilianoneto.blogspot.com.br/ João Emiliano Martins Neto

    Sócrates viveu e morreu pela Filosofia, nós, outros todos filosofantes e estudantes de Filosofia, ao longo desses mais de dois mil anos de Filosofia no mundo, temos mais ou menos gestos insuficientes como filosofantes, pois recusamo-nos encarar o tatame, a dureza, o solo duro, todavia firme da Filosofia que questiona-nos, que desafia-no quanto à seriedade de se procuramos, de preferência sempre, se vivemos o que ensinamos, se encarnamos a verdade como fez Cristo e é a obrigação de todo cristão e muitos filósofos dizem-se cristãos.

  • http://joaoemilianoneto.blogspot.com.br/ João Emiliano Martins Neto

    O filósofos físicos fisiologoi eram geniais, não perderam muito tempo com o animal doentes que é o homem com aquilo que podem ser fantasias do bicho homem com seus deuses, fantasmas e transcendência para o nada, dispensando tudo, a imanência a vida aqui e agora neste mundo, a única que pode ser real se não levarmos em conta os olhos que a fé e uma metafísica da fé em Cristo. Friedrich Nietzsche foi um retorno à filosofia física dos mestres pré-Sócrates.