navbar

A oposição establishment do Brasil para Lênin



// <![CDATA[
// <![CDATA[
//
// ]]>

Quem acredita que alguma coisa mudou após o impeachment sem cassação dos direitos políticos de Dilma Rousseff? A própria lei foi quebrada para salvar o pescoço da golpista comunista, mestre em falir governos propositalmente em favor dos esquemas da agenda revolucionária no Brasil.

Lula está solto, mesmo provada toda a sua participação como chefe do maior esquema de corrupção da história contemporânea. Isso sem falar do seu envolvimento na criação da organização terrorista mais poderosa das Américas, o Foro de São Paulo, que comanda toda a criminalidade no continente latino-americano.

A sra. Janaína Paschoal foi advogada que conseguiu emplacar o processo contra Dilma Rousseff, junto com outros movimentos instantâneos que sumiram ou sumirão em um curto espaço de tempo. Considerada uma advogada extremamente qualificada, a professora da USP foi durante mais de 5 anos uma profissional do escritório no advogado Roberto Podval, que tem como cliente José Dirceu. O mesmo Podval que advoga para um dos principais chefes do Petrolão, o comunista e agente cubano José Dirceu. Também foi assessora do ministro da Justiça de FHC-PSDB Miguel Reale Jr., um dos maiores entusiastas da famigerada Nova República, que seguiu a cartilha do Diálogo Interamericano em todo o seu ministério. Também foi presidente do Conselho Estadual de Entorpecentes, do governo do mesmo PSDB, partido que segue em risca a cartilha de liberação das drogas, proposto pelo Diálogo Interamericano e que favorece diretamente o Foro de São Paulo dos narcoditadores Lula e Dilma.

No dia do teatro grotesco que foi a tal cassação de mandato e direitos políticos de Dilma Rousseff, a sra. Janaína Paschoal aos prantos pediu perdão para Dilma e seus netos pelo mal que acabou causando a narcoditadora do Foro de São Paulo. Não fez nenhuma menção sobre os mais de 100 mil brasileiros assassinados TODOS OS ANOS no país, isso diretamente causado pelos esquemas envolvendo Dilma Rousseff.

Não é possível acusarmos a sra. Janaína de ser uma agente desse visível e mais do que manjado esquema de poder esquerdista no Brasil, mas que suas atitudes e conexões foram totalmente favoráveis para a esquerda revolucionária, isso não temos como questionar.

É necessário sabermos sim o QUEM É QUEM no Brasil, um lugar acostumado com conchavos de interesses escusos e canalhas, e que jogou o nosso povo no meio de um inferno revolucionário no qual vivemos hoje. As amizades dessa senhora ou de quem quer que seja não está em pauta aqui, mas sim da sua participação ao lado do COMUNISTA HÉLIO BICUDO, um dos principais nomes da esquerda revolucionária latino-americana, do COMUNISTA ALMINO AFONSO, do esquerdista Miguel Reale Jr entre outros para salvar o projeto do movimento no país, após o fracasso proposital das ditaduras FHC-LULA-DILMA ROUSSEFF. Isso é inegável. Não existe nenhum questionamento. É fato.

O Brasil está falido pelas roubalheiras do Petrolão e Mensalão, isso sem contar na capitulação iniciada nos anos 90 por FHC, tudo planejado antecipadamente pelos chefes do PSDB-PT-PMDB. A própria polarização política do país é o principal problema que sofremos. O que vemos agora, são empresários multibilionários ligados aos esquemas corruptos que possibilitaram a tomada de poder pelos meios pacíficos. Agora, muitos desses estão preocupados com o desenvolvimento nas investigações na Lava Jato, e alguns já viraram até “direitistas” de ocasião, apoiando e financiando grupos de “oposição” projetados como movimentos populares, mas sem nenhuma expressão. Isso tudo com a promoção da grande mídia, sócia da ditadura esquerdista brasileira do PT-PSDB-PMDB.

As “novas” promessas políticas no Brasil para Lênin

Noticiamos várias vezes sobre o envolvimento de organizações e grandes fortunas tanto do exterior quanto as nacionais, na manipulação da sociedade brasileira. O livro O Eixo do Mal Latino-Americano e a Nova Ordem Mundial, de Heitor De Paola demonstra isso de maneira categórica quando apresenta todas as principais estratégias globalistas e revolucionárias no esforço da criação de um governo mundial e suas conseqüências no Brasil.

FHC disse em entrevista que o sistema político brasileiro esgotou-se. Michel Temer nas vésperas da tomada de poder no processo de impeachment de Dilma apontou na mesma direção, indicando as duas fases que o país teria passado nos últimos 30 anos, a do liberalismo econômico na abertura pós-Regime Militar e da socialização dos direitos — leia-se socialismo –, e agora entrado em um novo período da história nacional, pós-Nova República, o da eficiência. Eficiência é o termo mais utilizado como desculpa na centralização de poder tanto pela classe política quanto como pelos líderes das grandes corporações. O país está totalmente entregue a uma pequena elite de revolucionários associados com uma elite corporativa sem nenhum compromisso com o povo brasileiro.

A classe política já estava de longa data dentro do esquema revolucionário contintental, e logo após o Regime Militar era necessário destruir de vez as Forças Armadas do país. Em 1986, o Diálogo iniciou o projeto que acabou transformando-se no chamado “Manual Bush”, que realizou a neutralização das Forças Armadas do continente latino-americano. O membro fundador do Diálogo, FHC, implementou esse projeto no Brasil e com um apoio de todo o establishment midiático fazendo uma campanha contra as Forças Armadas, com isso conseguiu garantir o controle total da classe militar.

Lula aprofundou os problemas e utilizou a desculpa de modernização e profissionalização das Forças Armadas para aprofundar o saque do povo brasileiro. As mesmas empreiteiras envolvidas no chamado Petrolão participaram desse esquema de roubalheira, e a nação em 2016, completamente desmoralizada está aniquilada economicamente, politicamente e militarmente.

Os funcionários das elites corporativas ocidentais aparecem agora propondo a solução mágica, menos Estado e mais livre mercado. Os mesmos clientes do BNDES durante os últimos 30 anos.

Entre tantas “estrelas” do “capitalismo” brasileiro está Jorge Gerdau, que foi visto dando pitacos aos “líderes” das manifestações antes da chamada “Marcha para Brasília”. O homem que foi um dos principais assessores e apoiadores dos governos Lula e Dilma, um dos conselheiros da Petrobrás durante todo o processo de roubalheira generalizada na estatal, além é claro, um dos principais clientes do BNDES.

Outro grande nome do “capitalismo” brasileiro é Jorge Lemann, dono da AmBev, a maior fabricante de bebidas do mundo. Modelo de liberal, Jorge Lemann que é celebrado como exemplo de empreendedor no país, conseguiu nos últimos anos vultuosas quantias de dinheiro diretamente retirados do famigerado BNDES, isso sendo ele um empresário internacional, com investimentos e negócios em todo o mundo. Por qual motivo o povo brasileiro é obrigado bancar as aventuras empresariais de Lemann, Gerdau, Baptista, Steinbruch… Já que ele são os maiores apóstolos da livre iniciativa? Pelo menos em entrevistas.

2883175047-helio-bicudo-discursa-sobre-carro-de-som-da-avenida-paulista

O comunista Hélio Bicudo como o “novo” Ulysses Guimarães, numa tentativa de criar uma postiça e “nova” diretas, já!,

A tentativa de compra do apoio da Rádio Vox

Foi divulgado amplamente na mídia brasileira o envolvimento de Fabio Jung Tran, diretor da Fundação Estudar de Jorge Leeman, na criação do movimento Vem Pra Rua, que polarizou no Brasil as manifestações para o impeachment e conseguiu lançar vários políticos eleitos na última eleição. O mesmo movimento do qual um de seus líderes — também ligado a FIESP e PSDB — esteve presente no relançamento do livro de Heitor De Paola, em 14 de novembro de 2015, no Club Homs de São Paulo, oferecendo dinheiro nos bastidores aos membros da Rádio Vox para apoiar o VPR. De uma maneira diplomática pedimos para ele retirar-se do evento e procurar a sua distinta turma. No dia 15 estivemos com um caminhão de som na avenida Paulista realizando uma ação cultural de divulgação da situação nacional, explicando os esquemas e pessoas envolvidas na fabricada e controlada crise brasileira. Éramos os únicos naquele dia na Paulista.

Vale lembrar que a Fundação Estudar de Jorge Lemann tem como principal parceiro o banco BTG Pactual, de André Esteves, preso na Operação Lava Jato por ser um dos principais operadores da organização criminosa instalada pelo PT-Foro de São Paulo na Petrobrás. Esteves montou junto com a estatal a empresa Sete Brasil, considerada pelo Ministério Público Federal como uma filial do Petrolão, e já tendo surrupiado dos cofres públicos mais de R$ 21 bilhões de reais.

Um dos principais líderes políticos do movimento foi o já surrado e desbotado José Serra, um sujeitinho desprezível que está por mais de 50 anos parasitando o cenário político brasileiro, associado a tudo que não presta no meio revolucionário. Agora aparece esse baluarte da imoralidade brasileira envolvido em mais um escândalo as investigações da Operação Lava Jato, onde o vampiro de Pinheiros teria roubado R$ 34 milhões via caixa 2. Esses são as grandes lideranças do Brasil para Lênin.
golpismo_ambev75858

Lemann possuí uma fortuna de aproximadamente US$ 32,2 bilhões, o mais rico do Brasil, e tem como negócios a AmBev, Lojas Americanas, Anheuser-Busch, a empresa ferroviária norte-americana OSX e a brasileira ALL, a rede de lanchonetes Burger King, a Heinz, centenária multinacional da indústria alimentícia entre outras companhias.

Em uma apresentação ocorrida na Fundação Educar em 01 de agosto de 2016, ele disse que agora quer estar envolvido na vida política do Brasil. “A minha esperança é que os princípios da Fundação, a meritocracia, o pragmatismo, o escolher gente boa, sejam adotados pelo País, pelo governo”, disse ele. “Espero que um futuro presidente brasileiro venha da Fundação”.

É a eficiência tanto celebrada pelo novo presidente do Brasil, Michel Temer! Tanta eficiência que o seu pseudo movimento conseguiu polarizar as manifestações no país e tirar Dilma Rousseff do cargo, claro, sem perder seus direitos políticos.

Podemos pensar na Fundação Educar como uma fábrica de quadros para a nomenklatura brasileira. Na lista dos mais de 600 estudantes que receberam bolsas nesses últimos 25 anos, está o criador do Vem Pra RuaFábio Jung Tran — aluno da David Rockefeller Center for Latin American Studies, um dos principais centros de pesquisa ligados ao Diálogo Interamericano –, a filha de José Serra, Veronica Allende Serra — parente do ditador comunista Salvador Allende –, e até sobrenomes famosos como o da família Ermírio de Moraes.

Com Jorge Lemann criando um movimento vislumbrando o poder no país, as velhas raposas do PSDB e Fiesp tentando comprar apoios, pessoas envolvidas com o establishment esquerdista brasileiro da OAB, USP, PSDB, PMDB, PPS, Diálogo Interamericano… O que pode dar certo num cenário como esse?

Vladimir Lênin dizia que a burguesia tenta ganhar dinheiro vendendo corda aos que planejam enforcá-la, só que dessa vez, quem está sendo enforcado é a população — a mesma que financiou desde a produção da corda até o financiamento da sua venda — pois no Brasil para Lênin a fusão entre o Estado Revolucionário e as grandes corporações já proferiram essa sentença faz muito tempo.

O COMUNISTA JOSÉ SERRA NO VEM PRA RUA

email

, , , , , , , ,

  • Teresa Aparecida Testani
  • Sandra BM

    Estamos mesmo lascados

  • Mittzu

    Só uma guerra civil salva esse país…

  • Roni Peterson Pinto Dias

    Boa noite Alex e ouvintes. Também não cai neste engodo do Brasil para Lênin. Isto vai iludir multidões,é um engodo terrível.

  • Camile Pacheco

    Artigo maravilhoso!

  • Rony Dias

    O artigo ficou sensacional.

  • BCZero

    Sensacional o artigo! Chega a ser tenebroso (seria Temeroso?) o caminho fúnebre seguido por este país. Gostei do texto, esclarecedor e sucinto! Gostaria de pedir aos editores do site se não poderiam me indicar umas referências bibliográficas para entender melhor o mal vermelho que tem devastado nosso país. Sigo algumas dicas e orientações do Nando Moura também. Valeu!