navbar

Lula na prisão

VIDE VERSUS – AO VIVO – 20/09 – 23:00

Lula e a galega italiana Marisa Letícia são réus na Lava Jato por recebimento de propina no Triplex do Guarujá; agora são réus de Sérgio Moro

Por Vitor Vieira

Nine Fingers: O comandante supremo da roubalheira na Petrobrás

A Justiça Federal do Paraná aceitou nesta terça-feira (20) a denúncia contra o poderoso chefão da Orcrim petista e ex-presidente Lula, sob acusação de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Ele vira réu e será julgado pelo juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato que não envolvam pessoas com foro privilegiado. Caso seja condenado por Moro e também em segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal, Lula será preso e se tornará inelegível pela Lei da Ficha Limpa.

Lula foi apontado pelo Ministério Público Federal como beneficiário direto de R$ 3,7 milhões de propina, paga pela empreiteira OAS, oriunda de contratos da Petrobras. Segundo a acusação, o dinheiro foi investido na reforma do tríplex no litoral paulista, que seria destinado ao ex-presidente.

A OAS também pagou pelo transporte e armazenamento de bens pessoais do petista de Brasília para São Paulo, após o término de seu governo. As vantagens indevidas, sustenta a denúncia, saíram de um “caixa geral” de propinas devidas ao PT pela OAS, abastecido com o desvio de verbas da Petrobras.

doacoes

A força-tarefa da Operação Lava Jato ainda apontou Lula como “o comandante máximo” do esquema de corrupção na Petrobras. Os procuradores argumentam que essa acusação, apesar de exposta na denúncia, está sob investigação da Procuradoria-Geral da República, e que não seria da competência da força-tarefa.

3x8lsa5l2i_14cymnj49k_file

A “galega” fantasiada de dilmista também virou réu

Além do ex-presidente se tornaram réus a ex-primeira-dama, a galega italiana Marisa Letícia; cinco executivos da OAS (Léo Pinheiro, Agenor Franklin Medeiros, Paulo Gordilho, Fábio Yonamine e Roberto Moreira Ferreira); e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Este último é acusado de ser responsável pelo contrato de mudança do acervo de Lula, também pago pela OAS. Lula ainda é alvo de outros dois inquéritos na Lava Jato, que apuram se ele é o real proprietário de um sítio em Atibaia (SP) e se as palestras dadas pelo ex-presidente após deixar o governo foram pagas com dinheiro oriundo de corrupção. As investigações estão em andamento.

 

Em agosto de 2012, o advogado Luiz Francisco Correa Barbosa disse no STF que faltava um réu no Mensalão; só agora no Petrolão o poderoso chefão se torna réu

 

No dia 13 de agosto de 2012, atuando no Plenário do Supremo Tribunal Federal como advogado na defesa de Roberto Jefferson, no processo do Mensalão do PT, o advogado gaúcho Luiz Francisco Correa Barbosa (juiz de Direito aposentado) fez uma vigorosa acusação, dizendo que estava faltando um réu naquele processo, e que esse réu era Lula, apontado por ele como chefe do enorme esquema de corrupção que havia se instalado no País sob o regime petralha.Ainda não se desconfiava no Brasil que o escândalo do Mensalão do PT seria sucedido por outro ainda muito maior, o do Petrolão do PT.

Luiz Francisco Correa Barbosa foi especialmente vigoroso ao denunciar a omissão do procurador geral da República, que se recusara, contra toda evidência, em promover a denúncia de Lula. Agora, a força tarefa da Operação Lava Jato, composta por 15 procuradores da República, não hesitou em dizer que Lula é o indesmentível chefe da organização criminosa que vem desde o Mensalão do PT. E isso não deixa de ser uma enorme reprimenda à direção nacional do Ministério Público Federal.

Advogados do País inteiro, e estudantes de Direito de todo o Brasil, têm a obrigação de ouvir esta histórica manifestação do advogado Luiz Francisco Correa Barbosa no Supremo Tribunal Federal no dia 13 de agosto de 2012. Se não fosse Barbosa o que ele é, poderiam dizer que tem dons proféticos. Na verdade, ele tinha convicção já naquela época da acusação que fazia.

email

, , , , , , , , , , , , , , , , , ,