navbar

Mentiras e ameaças contra o jornalista Vitor Vieira

Estou sendo ameaçado e fui violentamente ofendido por policiais gaúchos, na noite desta sexta-feira, porque publiquei uma postagem sobre as manifestações da polícia civil do rio grande do sul com o seguinte texto:

Policiais do Rio Grande do Sul fecham delegacias em protesto contra o governo de José Ivo Sartori – PMDB. quando eles negociaram aumentos com o Peremptório Petista, Tenente Artilheiro e Poeta de Mão Cheia, que ultrapassavam o governo dele e o próximo, esses policiais ficaram todos bem quietinhos, não é mesmo, e não se perguntaram se isso era legal e se haveria dinheiro no futuro para pagar tais aumentos. que diabos de policiais são esses que se permitiram fazer acordos criminosos com o governador petista? E agora resolvem satanizar José Ivo Sartori, que mal está começando o governo, sem dinheiro para nada? Ensinem a Sartori as técnicas aprendidas com bandidos, sobre como imprimir dinheiro. As coisas precisarão piorar muito ainda para as corporações gaúchos aprenderem que precisam mudar completamente de atitude”.

Como qualquer pessoa funcionalmente alfabetizada pode constatar, não denegri os policiais, ou a carreira policial. Apontei o que é fato, uma obviedade tão óbvia que chega a ser bóvia, como dizia o cronista esportivo Nelson Rodrigues: Os policiais civis gaúchos ficaram maravilhados com o governo do peremptório petista “Grilo Falante” e Tenente Artilheiro e Poeta de Mão Cheia tarso genro e seus mirabolantes aumentos salariais que avançavam por governos futuros.

Nunca passou pela cabeça destas diligentes autoridades policiais que isso poderia ser uma monumental farsa, uma gigantesca fraude. E era. E era também crime, que ofendia a lei de responsabilidade fiscal. Um governador não pode – está proibido por lei – de criar despesas para governos futuros. mais, nenhuma dessas diligentes autoridades policiais dedicou-se a investigar se haveria recursos no futuro para garantir tais aumentos. o resultado, obviamente – bóviamente – aí está.

Eu não esperava aplausos para a minha postagem. Esperava mesmo a reação irada de policiais. A postagem recebeu 104 curtidas, 60 comentários e 25 compartilhamentos. relevei todas as críticas e mesmo alguns desaforos. Afinal, compreendo que alguns achem que não passo de um “jornalistazinho”, de um imbecil mal informado, e de outras gentileza do gênero.

10451068_10205928815192070_1275236303591235517_n

Caso ele apague a postagem, pode ser lida na cópia online https://archive.is/9Epaf

O que não compreendo, e não posso aceitar, é que alguém se reporte a meu respeito nos termos em que se manifestou no seu comentário alguém que se chama Jorge Lima. Os termos que ele usou estão na imagem que acompanha esta postagem. ele começa dizendo: “este vagabundo é um baita achacador. Mantém este blog para chantagear políticos”. A que diabo de blog está se referindo o sr. Jorge Lima? Fiz esta postagem exclusivamente neste meu perfil aqui no Facebook, e nas páginas que também mantenho no Facebook – jornalista Vitor Vieira e VideVersus. Porém, na abertura do seu comentário, o sr. Jorge Lima me acusa de dois crimes: Achacar e chantagear.

Não conheço o sr. Jorge Lima. Nunca o vi na minha frente, nunca o entrevistei para matéria alguma nestes 33 anos em que estou no Rio Grande do Sul, para onde voltei para chefiar a sucursal da Veja – antes, morei e trabalhei em São Paulo, nos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo. como se vê, um “curriculuzinho”….. é claro que tenho sido criticado, e tenho compreensão com isso. é natural. Mas, ser ofendido desse jeito….. ah…. não mesmo.

Printei as páginas. Na segunda-feira estarei em Cartório, registrando-as e certificando-as, e a seguir ingressarei com ação cível pertinente. Nem tentarei a ação criminal, porque é inútil. Basta, conforme a lei, o autor da ofensa declarar que não teve a intenção de ofender e não haverá crime.

Portanto, caminho inútil. Vamos logo ao que dói, a ação cível. Como disse, não conheço o sr. Jorge Lima. Entretanto, no meio de tantas informações que recebo, tenho alguma lembrança de um policial que prestava assessoria na área de segurança pública para a ex-governadora Yeda Crusius, um policial ligado ao PSDB. Se for o mesmo, dá para entender a qualidade da informação que Yeda Crusius e permite compreender porque ela foi tão atacada, sem prevenir nada, sem saber como se defender por tanto tempo. Não quero fazer do sr. Jorge Lima o retrato da Polícia Civil do Rio Grande do Sul.

Relembro apenas que o governo que concedeu esses aumentos estrambóticos à Polícia Civil, que invadiam governos futuros, sem inquirir se haveria recursos para pagá-los, tomando atribuições de maneira ilegal de governadores futuros, é o mesmo governo cuja Polícia Civil manteve, na chefia da segurança pessoal do secretário de segurança pública, um comissário de polícia que era ao mesmo tempo chefe de segurança privada de poderoso traficante de cocaína, morto em uma execução em pleno domingo, ao meio dia, a poucas dezenas de metros da beira da praia em Tramandaí. É possível que uma corporação policial inteira não soubesse disso?

Que diabo de polícia é essa que sequer faz uma investigação preliminar mínima sobre membro da corporação que irá responder pela segurança pessoal da autoridade máxima na área de segurança pública?

Ao mesmo tempo, registrei aqui que policiais estão desejando que filho meu precise da polícia, ou minha mulher quando estuprada. Não tenho filho, e sou viúvo. Mas entendi o sentido do recado.

Então mando também o meu. Nunca me amedrontei no exercício da profissão de jornalista. Já fui poderosamente ameaçado, como quando denunciei o assassinato por “suicídio” do músico Diógenes em instalação penal de Porto Alegre, para onde havia sido mandado por meio de uma fraudada acusação de estupro de uma menina de seis anos. Era uma sexta-feira, a polícia não quis saber de conversa, em poucas horas o flagrante foi lavrado e referendado por um juiz de direito. Enviado ao presídio central, o músico Diógenes chegou lá sob os avisos dos por agentes penitenciários: “chegou estuprador”. Todo mundo sabe qual o destino de estupradores em presídios. o músico Diógenes foi violentamente “estuprado” por toda sexta-feira e sábado na cela denominada “jumbão”. Saiu dali para o Hospital Penitenciário completamente em surto. E dali para o Instituto Psiquiátrico Forense, onde foi assassinado pendurado em sua cueca amarrada em uma grade da cela inferior à sua altura.

O preso precisaria atirar as pernas para a frente para se suicidar. durante mais de um mês, após ter apontado a culpa de todos os agentes públicos que estavam no Presídio Central de Porto Alegre, no Hospital Penitenciário, e no Instituto Psiquiátrico Forense, na noites/dias de sexta-feira, sábado, domingo e segunda-feira, fui seguido de carro por mais de um mês. O telefone de minha casa recebia uma ameaça seguida de outra. Nada me intimidou, tampouco os revólveres ostensivamente exibidos por dezenas de agentes penitenciários que se acotovelavam na recepção da secretaria da justiça, onde eu chefiava a assessoria do secretário Geraldo Costa Nogueira da Gama.

Não será agora que me assustarei. As ameaças têm apenas o condão de me fazer tomar cuidado. A diferença é que agora terei que me cuidar da polícia. O que me faz lembrar a música de Chico Buarque de Hollanda: “chame o ladrão….. chame o ladrão”.

email

, , , , , , , , ,

  • Karina Martins

    Estamos com você, querido Vítor Vieira!!! Você é um exemplo de jornalismo independente e corajoso!!! Que Deus te dê forças!!!

  • Narciso

    Força Vítor! é uma vergonha esses patifes serem chamados de policiais!

    • Karina Martins

      Até porquê, petistas são petistas, a profissão que exercem fica em segundo plano…

  • Pedro Trajano

    por isso que aqui no brasil ainda sou contra pena de morte, judiciario e policia muito incompetentes. ia ter muito inocente indo pra vala…

    http://noticias.r7.com/cidades/noticias/homem-fica-preso-19-anos-preso-por-engano-e-morre-depois-de-saber-sobre-indenizacao-milionaria-20111127.html

  • Roni Peterson Pinto Dias

    Boa noite Alex e ouvintes. Entrando agora depois de uma correria aqui. A perseguição ao Vitor Vieira é a prova cabal de que a elite está contra o povo. Brasil já era,infelizmente.

  • Luiza Barbosa

    Boa noite!

  • Daniel Souza

    Boa noite, ALex e ouvintes.

    Força VItor!

  • Luis Henrique Ramalho Ribeiro

    À igraja pode escrever sobre muitas coisas: Pastorais, movimentos politicos, colaborações de “padres” à inimigos.

  • Karina Martins

    Boa noite amigos!!! Estamos com você, Vítor!!!

  • Plinio Brasil

    A COISA TÁ FICANDO SERIA ! POLICIA FICANDO BANDIDA É O FIM DA REPUBLICA ! FIM DA DEMOCRACIA ! ESTAMOS AO LADO DA LIBERDADE DE IMPRENSA ! FORÇA VITOR !

  • Veronica Ruzzi

    Boa noite a todos. Só rola sujeira neste país.

    • Karina Martins

      Cada dia, uma coisa nova…

  • Luiza Barbosa

    Site do Vitor está fora do ar!!

    • Daniel Souza
      • Karina Martins

        Eu consegui acessar…

        • Roni Peterson Pinto Dias

          Também acessei agora.

    • Luiza Barbosa

      Desculpem, foi a net que caiu aqui.

      • Daniel Souza

        Está desculpada!

  • Roni Peterson Pinto Dias

    Brasil…

    • Karina Martins

      Dá muita vergonha, né???

      • Roni Peterson Pinto Dias

        A imagem diz mais que mil palavras… Estamos fufu…

        • Karina Martins

          Sem dúvida… Não vejo solução humana para esse país… É só com Deus mesmo…

  • Ricardo G. B. Silva

    Força Vitor. Acompanhamos o seu trabalho há muito tempo. Sabemos da sua seriedade.

  • Karina Martins

    Hoje em dia, está muito perigoso ser jornalista independente, não ligado aos grupos globalistas ou ao governo do PT… Quem faz isso, mostra que tem coragem!!!

  • Rafael Nunes

    nem no Paraguaio não teremos segurança !

    • Daniel Souza

      O mais ridículo é que a área mais perigosa do Paraguai é justamente a da fronteira com o Brasil.

  • Plinio Brasil

    ALEX . O SUJEITO É do PT. FOTO DA CASA. CAMPANHA DE 2014. Foto é do perfil da esposa. ESTÁ EXPLICADO A AMEAÇA A VIDA E INTEGRIDADE DO VITOR https://www.facebook.com/gzsouto?pnref=about.overview.rel

    • Karina Martins

      Se havia alguma dúvida, agora está explicado…

      • Plinio Brasil

        EXATO. O sujeito pode fazer realmente fazer o VITOR “diogenizar-se” em uma prisão. Aqui é Brasil e não Israel. Aqui a policia gerá falsas provas até por desavença a vizinho (abuso de poder).

        • Plinio Brasil

          UMA PUBLICAÇÃO NO PERFIL DO ” DITO POLICIAL QUE FAZ DEFESA DA SOCIEDADE”. NA VERDADE JÁ SABEMOS AGORA O SUJEITO É PERIGOSO. OBSERVEM A PSICOLOGIA DO SUJEITO.

    • Plinio Brasil

      UMA PUBLICAÇÃO NO PERFIL DO ” DITO POLICIAL QUE FAZ DEFESA DA SOCIEDADE”. NA VERDADE JÁ SABEMOS AGORA O SUJEITO É PERIGOSO. OBSERVEM A PSICOLOGIA DO SUJEITO.

    • Daniel Souza
      • Roni Peterson Pinto Dias

        Cut lixo.

  • Luiza Barbosa

    O Tuma comentou sobre aquele caso do jornalista esportivo (Paulinho). Vejam o que o blog do Marroquino diz http://navegadormarroquino.blogspot.com.br/?m=1

  • Veronica Ruzzi

    Como diz Olavo de Carvalho, com razões de sobra, a midia é criminosa por ocultar as informações da população.

  • Luiza Barbosa

    O tal Paulinho está condenado a 5 meses em semiaberto, mas está preso na cela do 31 DP- Vila Carrão, com pedido de habeas corpus negado pela Justiça de SP e STJ. Condenado por difamação. Nunca conheci ninguém preso por isso.

  • Veronica Ruzzi

    Isto esta na cara, que tem M atras do PT

    • Roni Peterson Pinto Dias

      M de máfias…

  • Rafael Nunes

    Alex , se a desmilitarização acontecer ? o que nós vamos fazer ? comprar armas ?

    • Plinio Brasil

      FARC (COLOMBIA) PARA DERRUBAR O GOVERNO NACIONAL.

      EPP (PARAGUAI) PARA DERRUBAR GOVERNO DE UNIDADE NACIONAL CONSERVADOR .
      VENDA DE ARMAS A AFRICA, ESTADO ISLAMICO….

  • Luis Henrique Ramalho Ribeiro

    Alex.

    Quando ligo mostra “numero inexistente”.

    • Daniel Souza

      Skype bloqueado.

  • Plinio Brasil

    POLICIA NO BRASIL …. CONFIÁVEL ???? LEIA E TIRE SUAS CONCLUSÕES ! O CASO DO VITOR É ” LUGAR COMUM “. SOMOS REFÉNS DE BANDIDOS TRAVESTIDOS DE POLICIAIS ! PIOR AINDA DE POLICIAL PETISTA É UM MILITANTE ARMADO QUE USA A “AUTORIDADE” PARA ARBITRARIEDADE !

    http://www.defensoriapublica.mt.gov.br/portal/index.php/noticias/item/8072-policiaisusammetodosdetorturaparaforjardepoimentoeprenderinocente

    • Roni Peterson Pinto Dias

      O aparelhamento foi total… Um verdadeiro pesadelo.

    • Luiza Barbosa

      Quem não tem grana para advogado está phodido. E mesmo que tenha, se vc for jornalista independente, está na mesma situação de quem não tem.

      • Roni Peterson Pinto Dias

        Phodido com ph mesmo.

  • Luiza Barbosa

    O Paraguai é uma porção de terra cercada de ditaduras por todos os lados.

    • Plinio Brasil

      EXATA.

      • Rafael Nunes

        vai nessa que o Paraguaio será um local seguro caso se consolide a a ditadura comunista da america latina .

  • Rodrigo

    Apenas um lembrete: os comandantes das Polícias Militares estão cada vez mais inclinados a aceitarem a tal desmilitarização. Os que estudaram Direito e foram doutrinados nas universidades estão na linha de frente.

  • Rafael Nunes

    Alex ! Vamos morrer se consolidar a Nova Ordem Mundial ?

    • Plinio Brasil

      SIM. A REDUÇÃO POPULACIONAL É PREVISTA DE 80%. O MUNDO PODE TER NO MÁXIMO 500 MILHÕES DE PESSOAS. SEGUNDO AS ESCRITURAS DOS PILARES ” GUIDESTONES” NA GEORGIA.

      A FEMA -“DEFESA CIVIL” NOS E.U.A TEM CONSTRUIDO CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO E ARMAZENADO CAIXÕES EM MILHÕES EM SUAS SEDES !

      Para maiores detalhes acesse o link:
      http://fimdostempos.net/pedras-georgia.html

      • Roni Peterson Pinto Dias

        O lance dos caixões da F.E.M.A foi tratado como piada,mas estão lá para alguma coisa…Bill Gates é a favor da redução populacional,além de muitos outros bilionários…

        • Plinio Brasil

          OBVIO QUE SERÃO USADOS NO MOMENTO ADEQUADO. SÃO DE METAL E PLASTICO DURABILIDADE EM DEPOSITO PASSA DE MIL ANOS DE VIDA UTIL E BEM CUIDADOS ! JUNTAR 300 MILHÕES DE CAIXÕES LEVA TEMPO…

          • Roni Peterson Pinto Dias

            Eles estão lá e em muitos outros lugares.

      • Plinio Brasil

        RAFAEL NUNES – 14 MINUTOS SOBRE A FEMA ! CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO E CAIXÕES PARA USAR NA REDUÇÃO POPULACIONAL. https://www.youtube.com/watch?v=zpZXpQluKMI

      • Plinio Brasil

        BARACK OBAMA – FALA DOS CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO FEMA.PRISÕES DE CIDADÃOS QUE SEJAM SUPOSTAMENTE AMEAÇA AO ESTADO ANTES MESMO DE COMETER O CRIME !

        https://www.youtube.com/watch?v=GbEUvOdf9wM&list=PL2qzIYVpuv5oNcbOkQ3DVjywqK7fYm-jp

  • Plinio Brasil

    Verdades inconvenientes) ( POLICIA X JORNALISMO )

    Por Ângela Carrato em 03/02/2015 na edição 836

    Há pouco mais de um ano, no dia 20 de janeiro de 2014, o site de
    notícias NovoJornal era tirado do ar e seu proprietário, Marco Aurélio
    Carone, preso. Não era a primeira vez que o site enfrentava problemas
    com os poderosos em Minas Gerais. Quatro anos antes, 12 integrantes da
    Polícia Militar, fortemente armados, comandados pelo coronel Praxedes e
    liderados pela promotora Vanessa Fusco, tendo em mãos um mandado de
    busca e apreensão, “visitaram” sua redação.

    Entraram, vasculharam tudo e levaram todo o equipamento.
    Coincidentemente, poucas horas depois o site era tirado do ar. Quem o
    acessasse encontrava apenas um letreiro avisando que a publicação havia
    sido retirada do ar por ordem da Divisão contra Crimes Cibernéticos da
    Polícia Civil de Minas Gerais e que ações daquele tipo eram “muito
    comuns nos Estados Unidos”.

    Na redação, a polícia encontrou apenas o jornalista Geraldo Elísio,
    editorialista e um dos cinco profissionais que atuavam no site. Uma
    semana após aquele “empastelamento”, o NovoJornal voltava ao ar, postado
    de um provedor sediado exatamente nos Estados Unidos. Outra adequação
    providenciada por seu proprietário, além de comprar novos equipamentos,
    foi alojar o servidor em uma sala com paredes reforçadas.

    Já naquela época, o NovoJornal era sucesso de público. Enquanto toda a
    mídia impressa em Belo Horizonte não atingia 80 mil exemplares/dia, os
    acessos ao NovoJornal ultrapassavam os 400 mil/dia e não paravam de
    crescer. Pouco antes de seu “empastelamento” final, a publicação atingia
    picos recordes impensáveis pela imprensa mineira, chegando a um milhão
    de acessos/dia. Nesta operação, o site do jornal perdeu o br e passou a
    usar o pontocom, que significa domínio internacional.

    Equipamentos destruídos

    O sucesso de público explicava-se. O NovoJornal era o único em Minas a
    destoar do coro dos contentes. Enquanto em todos os demais se liam
    apenas matérias elogiosas e exaltando os feitos dos governos tucanos, o
    site publicava, quase diariamente, denúncias sobre os desmandos que
    aconteciam no estado. Entre outros assuntos, eram destaque a falta de
    licitação para contratação de obras por parte do governo mineiro, os
    privilégios para os “amigos” do então governador Aécio Neves, a prisão
    do delator do mensalão tucano Nilton Monteiro, documentos inéditos
    envolvendo o mensalão tucano, a relação completa dos 153 políticos
    beneficiados pela Lista de Furnas, irregularidades na construção da nova
    sede do governo mineiro, apelidada de “Aeciolândia”, além de denúncias
    sobre o contrabando de nióbio e a máfia do tráfico de órgãos, com sede
    na cidade mineira de Poços de Caldas.

    Além destas denúncias, o site inovou ao anexar, ao final de cada
    reportagem, documentos que comprovavam o que estava sendo publicado.
    Outra inovação, digna de registro, é que além do espaço para os
    internautas se manifestarem, o NovoJornal publicava também, no final de
    cada matéria, que “o espaço estava aberto para a resposta de todo aquele
    que se sentisse prejudicado”. O espaço foi utilizado uma única vez,
    pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Entretanto, a emenda
    ficou pior do que o soneto. A nota da empresa, sem querer, acabou
    confirmando os fatos denunciados.

    Apesar do recorde de público, o NovoJornal – que chegou a ter alguns
    anunciantes de peso devido à parceria feita com o Google – viu sua
    receita publicitária minguar. Os atrasos de pagamentos se tornaram
    frequentes, como igualmente frequentes passaram a ser as “visitas” de
    emissários de políticos tucanos propondo “acertos” e “negociações” para
    que Carone “baixasse” o tom das críticas. Cabeça dura, como o próprio
    Carone se define, ele não cedeu, mesmo ciente dos rumores de que “as
    coisas poderiam piorar” com a proximidade do ano eleitoral.

    O que Carone não poderia imaginar é que ficaria preso nove meses, na
    maior parte do tempo incomunicável, em uma penitenciária de segurança
    máxima, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte. Em geral,
    as prisões preventivas, como no caso dele, não ultrapassam 90 dias e, se
    a pessoa apresenta problema de saúde, o cárcere pode ser substituído
    por prisão domiciliar. Mesmo sendo diabético, hipertenso e tendo sofrido
    um enfarte, que o levou à cadeira de rodas, permaneceu na prisão. Do
    lado de fora, seus familiares, em especial sua filha Cristina e seu
    netinho, sofriam todo tipo de pressão, humilhação e ameaças, com o
    apartamento em que moram sendo revistado diversas vezes.

    No mesmo dia em que Carone foi preso, os equipamentos na sede do
    NovoJornal foram destruídos e o jornalista Geraldo Elísio, que há sete
    meses não trabalhava mais lá, teve seu apartamento revistado e seus
    equipamentos pessoais – notebook, HD externo, pen drive e cadernetas de telefones – igualmente apreendidos.

    Ângulo desfavorável

    A acusação contra Carone não poderia ser mais absurda. Ele era apontado
    como “suposto integrante de uma quadrilha” que teria Nilton Monteiro, o
    denunciante do mensalão tucano, como chefe. Sua parte no esquema seria
    “forjar e divulgar documentos falsos contra autoridades mineiras”. Já o
    jornalista Geraldo Elísio foi acusado de ser “braço direito” da
    organização criminosa. O curioso neste processo é que boa parte dos
    documentos divulgados por Carone foram os mesmos utilizados pelo
    procurador-geral da República Rodrigo Janot para pedir pena de prisão de
    22 anos para o ex-governador Eduardo Azeredo, em cuja campanha para a
    reeleição, em 1998, teve lugar o chamando mensalão tucano. Mais curioso
    ainda é que, após nove meses de prisão e pouco depois do segundo turno
    das eleições presidenciais, Carone foi solto por “absoluta falta de
    provas” que o incriminassem. No mesmo dia, Nilton Monteiro também
    ganhava a liberdade.

    A esmagadora maioria da população mineira desconhece esses fatos. Não
    ficou sabendo dos “empastelamentos” do NovoJornal e se ouviu falar sobre
    a prisão de Carone provavelmente o liga a alguém que falsificava
    documentos. O desconhecimento se justifica. Em momento algum a imprensa
    mineira publicou uma nota, sequer, sobre a presença da polícia na sede
    do jornal e sua retirada do ar. Quando da prisão de Carone, ele foi
    apresentado como um “criminoso comum, que estaria chantageando
    autoridades”. Muitas das matérias sobre o assunto foram acompanhadas de
    fotos dele, tiradas de um ângulo que o mostravam com uma fisionomia
    quase assustadora, por ser uma pessoa alta, gorda, usar barba e estar
    muito tenso.

    Direito de resposta não é praxe

    Na época da prisão, Geraldo Elísio, que durante mais de três décadas
    atuou na imprensa mineira e tem um Prêmio Esso Regional de Jornalismo
    defendendo os direitos humanos, procurou colegas e dirigentes das
    publicações locais para solicitar direito de resposta. De uns, ouviu que
    “direito de resposta não era praxe”. De outros, o colega ficou de
    redigir o texto e solicitar aprovação da direção, que não aconteceu. No
    jornal Estado de Minas, onde havia trabalhado por décadas, sequer conseguiu falar com alguém da diretoria ou da redação.

    Ao ser acusado de “braço direito” da suposta quadrilha, ele procurou a
    Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais
    e, em audiência pública, encaminhou ao Ministério Público, com as
    assinaturas do presidente da Comissão, deputado Durval Ângelo (PT) e do
    vice-líder do governo naquela Casa, Duarte Bechir (PSDB), um
    oferecimento espontâneo da quebra dos seus sigilos bancário, fiscal e
    telefônico. O que jamais foi feito, embora o jornalista mantenha esta
    oferta estendendo-a inclusive a qualquer órgão de imprensa do país que
    se interessar pelo assunto. Detalhe: Geraldo Elísio é aposentado pelo
    INSS.

    Enquanto isso, os jornais mineiros continuavam publicando apenas a
    versão oficial e várias rádios aproveitavam a oportunidade para aumentar
    a audiência de seus programas policialescos. Foram sites como Conversa
    Afiada, CGN, Viomundo [e este Observatório] e as redes sociais
    os únicos a noticiarem o “empastelamento” final do NovoJornal e
    denunciarem a prisão de seu proprietário. Foram, sobretudo, as redes
    sociais que, ao longo de nove meses, cobraram a soltura de Carone e
    explicações sobre o arbítrio que cercou sua prisão.

    Em sua página no Facebook, o jornalista Geraldo Elísio cobrou das
    autoridades mineiras, diariamente, explicações sobre o episódio, além de
    indagar as razões pelas quais não aceitavam a quebra de seus sigilos.
    Eu mesma fui uma das poucas pessoas que, durante este período, em minha
    página do Facebook, igualmente cobrei explicações das autoridades. Em
    alguns momentos, recebi de colegas jornalistas comentários estranhando
    as minhas postagens. “Você tem certeza que isto está acontecendo?”,
    argumentavam alguns, lembrando que não tinham visto nada daquilo na
    mídia.

    Autoridades devem explicações

    Pois é. Não deu na mídia, mas aconteceu! Claro que as autoridades
    mineiras devem – e muitas – explicações sobre o que fizeram. Se nada foi
    encontrado que incriminasse Carone e o NovoJornal, a publicação pode
    voltar ao ar e ele, no mínimo, deve ser indenizado. Não sei quais são os
    planos futuros deste empresário, pois nem sua saída da cadeia foi
    noticiada pela mídia. Novamente a notícia circulou apenas através das
    redes sociais e pude comprovar o fato por intermédio de pessoas próximas
    a ele. Pessoas que lembram que ele está arrasado.

    Para nós, jornalistas e pesquisadores sobre jornalismo e mídia, a
    questão está longe de ter um ponto final. Ela demanda e continuará
    demandando uma profunda reflexão sobre o que aconteceu. Reflexão que
    envolve muito mais do que a denúncia de um ato autoritário, de arbítrio e
    de censura contra uma publicação e seu proprietário. Há inúmeras
    perguntas que precisam ser respondidas.

    Se a maioria da população realmente não sabia do que aconteceu com o
    NovoJornal e com seu proprietário, o mesmo não pode ser dito dos
    jornalistas mineiros e dos veículos locais. O Sindicato dos Jornalistas
    Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) foi informado, no mesmo dia, sobre
    o que havia ocorrido. A então presidente da entidade, Eneida Costa,
    convocou uma reunião da diretoria para tratar do assunto, mas não
    conseguiu que fosse aprovada uma posição unânime. Vários integrantes da
    diretoria alegaram que por Carone ser publicitário e não jornalista, o
    fato não dizia respeito à entidade! Mais ainda: não faltou quem
    lembrasse dele apenas como “mau patrão”, pois em algumas oportunidades
    tinha deixado de pagar jornalistas que com ele trabalharam.

    Eneida Costa acabou divulgando, em caráter pessoal, uma nota de repúdio
    no que diz respeito à busca e apreensão dos equipamentos do jornalista
    Geraldo Elísio que, aliás, até agora, não foram devolvidos, sem contar
    que, quando da apreensão, não foram feitos os devidos back up, bit a bit,
    como determina a lei e, mais, grave, não foi deixado com ele nenhum
    documento, o que pode dar oportunidade às autoridades policiais alegar
    não ter existido o problema. Mas, por outro lado, tendo o jornalista
    denunciado o fato à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia
    Legislativa e deposto perante um delegado e um juiz de direito da 2ª
    Vara Criminal de Belo Horizonte, o caso ficou documentado.

    Volta aos “anos de chumbo”

    Ao contrário do Sindicado dos Jornalistas, a Associação Brasileira de
    Imprensa (ABI) divulgou uma dura nota de repúdio ao fato, mantendo sua
    tradição de não compactuar com nenhum tipo de autoritarismo e arbítrio.
    Já as seções mineiras da Ordem dos Advogados do Brasil, do Instituto dos
    Arquitetos do Brasil e da Cúria Metropolitana primaram pelo silêncio,
    contrariando suas histórias.

    A própria Eneida Costa, em entrevista ao blog CGN, confirmou que
    episódios como o do aeroporto de Cláudio, construído irregularmente e
    com dinheiro público nas terras de um parente do ex-governador Aécio
    Neves, eram de conhecimento dos jornalistas mineiros, apesar de a
    denúncia ter sido publicada, pela primeira vez, pela Folha de S.Paulo, e do assunto não ser mencionado por nenhuma publicação local. A revista CartaCapital,
    em pelo menos três oportunidades, publicou reportagens na mesma linha
    das colocadas no ar pelo NovoJornal, envolvendo o mensalão tucano, a
    Lista de Furnas e tráfico de órgãos. E não consta que seu proprietário
    ou que os repórteres que as assinaram tenham sofrido quaisquer
    constrangimentos.

    Em outras palavras, não é razoável aceitar que a maioria dos
    jornalistas mineiros não sabia o que estava acontecendo, envolvendo as
    denúncias sobre desmandos e irregularidades cometidas pelos tucanos.
    Isto sem falar sobre a inversão de valores, como o fato de autoridades –
    que tinham por obrigação apurar as denúncias que estavam sendo
    publicadas – trataram de prender, a mando dos poderosos de plantão, quem
    as publicava, atingindo duramente um dos pressupostos da própria
    democracia: a liberdade de expressão e de imprensa. Em outras palavras,
    ao agirem assim, fizeram com que Minas Gerais retornasse aos “anos de
    chumbo”, apesar de o país viver em plena democracia.

    A pergunta que fica é: por que quase todos se calaram? Por que Minas
    Gerais, “cujo outro nome é liberdade”, compactuou com este absurdo?
    Várias hipóteses podem ser levantadas. O senso crítico se forma através
    da divulgação feita pela mídia. Se ela silenciou sobre estes assuntos,
    natural que muitos não tivessem conhecimento. Outra razão: interessados
    em objetivos escusos obviamente atuaram para que o silêncio
    permanecesse. Silêncio que só foi quebrado após as eleições e, mesmo
    assim, sem a participação da mídia e da maior parte dos jornalistas
    mineiros.

    Medo ancestral

    E por que isto ocorreu? Por razões inconfessáveis? Por medo? Se foi por
    medo, qual a origem dele? Para alguns estudiosos, o medo generalizado
    dos mineiros é enorme e tem razões ancestrais. É possível localizar seu
    DNA ao tempo do Brasil colônia, quando a região era explorada pelas
    potências europeias de então. A população assistiu aterrorizada às
    mortes e perseguições envolvendo os integrantes da sedição de Vila Rica
    (Felipe dos Santos) e da Inconfidência Mineira (Tiradentes) e esse medo,
    séculos depois, ainda persistiria. Razão pela qual ao questionarem o
    receio que dava origem a um silêncio incômodo, ingleses ligados à
    exploração mineral indagavam aos nativos why (por que em
    inglês), originando-se daí a expressão “uai”, típica de Minas Gerais,
    que passou a ser repetida em lugar da resposta.

    Todos estes fatores podem estar agrupados e servirem para explicar este
    silêncio, mas salienta-se a fase de “vacas magras” que vive a imprensa
    mineira, mal acostumada a se beneficiar dos cofres públicos para manter o
    seu ritmo de existência. Além disso, as transformações pelas quais
    passa esta mídia, sem a devida compreensão por parte de sua direção e de
    muitos funcionários, pode ter levado à rendição no sentido de manter o status quo
    e postos de trabalho, abrindo-se mão das finalidades precípuas da
    própria mídia e do jornalismo e, o mais triste, da ética e da honra.

    A imprensa mineira, jornais e muitos jornalistas, com este episódio,
    quase se suicida, morrendo de inanição por falta de divulgar notícias e
    torcendo para que um dia nada aconteça para que possa publicar apenas
    notas sociais, pequenos anúncios e avisos fúnebres, sem imaginar que
    entre estes poderá estar o seu.

    ******

    Ângela Carrato é jornalista, professora do Departamento de
    Comunicação Social da UFMG, mestre e doutora em Comunicação. Este artigo
    foi publicado no blog Estação Liberdade

    http://observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/_ed836_verdades_inconvenientes/

    • Luiza Barbosa

      Os políticos devem ter sido coniventes com a estrutura da KGB do B criada pelo PT para calarem os jornalistas que cumpram seu dever. Como os caras criaram o monstro descrito pelo Tuma sem ninguém ver?? Mesmo que o PT e até mesmo o Foro caiam , quem garante que o aparelhamento termine??

      • Plinio Brasil

        O APARELHAMENTO SÓ PODE SER DESFEITO A LONGO PRAZO. PASSA POR UM MACARTHISMO ! REFORMA EDUCACIONAL E POR UM CONCEITO SUB ENTENDIDO: NAO EMPREGO COMUNA, SOUBE QUE É COMUNA DEMITO, SSE FOR COMUNA COLOCO FORA DOS MELHORES EMPREGOS.

    • Veronica Ruzzi

      A verdade é cada vez mais chocante, devemos manter a mente sã, senão estamos perdidos.

  • Rodrigo

    O “El Chapo” Guzmán mandou a mulher dar à luz os filhos na… Califórnia. Qual a consequência direta disso? A cidadania americana…

  • Veronica Ruzzi

    Mas aqui no Brasil a situação é a mesma, pois o chefão ainda esta solto.

  • Rodrigo

    Estou gostando do Trump jogando boa parte da grande mídia americana no ventilador. MSNBC, Univision, Fusion, NYT… aliás, ele inclusive falou que o governo mexicano banca essa merda chamada Univision. É bem possível.

  • Roni Peterson Pinto Dias

    A nova ordem mundial já está estabelecida. O lance dos chips será para mais tarde. A marca da besta já está ai: é a aceitação bovina de tudo isso que está acontecendo. A cada dia que se passa fica mais evidente a luta entre o bem e o mal,sufocada e dissimulada através do relativismo e frouxidão moral.

  • Luiza Barbosa

    Se o Paraguai não quiser ser engolido, precisa de uma bomba atômica. Se não, pode ser invadido.

    • Plinio Brasil

      FATO. E TER UM EXERCITO PADRÃO DINAMARQUES OU SUIÇO. TODO PARAGUAIO OU PARAGUAIA UM SOLDADO COM FUZIS, METRALHADORAS. A MODA ISRAELENSE OU SUIÇA.

      • Luiza Barbosa

        Serão como Israel.

  • Rodrigo

    Li o print postado acima. Uma penca de policiais irritados por bobagem. O Fantástico, JN e as novelas da Globo fazem a caracterização dos policiais como verdadeiros bandidos, assassinos frios e calculistas. Por que eles não vão xingar a Globo?

    Vir xingar um cara sem guarida de grande mídia é fácil.

    • Daniel Souza

      É ação sindical, Rodrigo.
      Eles passaram todo o governo do poeta de mão cheia quetinhos, mal começou a nova administração conclamaram greve.

      • Rodrigo

        Eu sei, Daniel. Comentário acima é apenas a radiografia genérica da rapinagem pelega.

      • Rodrigo

        Detalhe é que muitos deles usando o avatar do personagem do Guy Fawkes no V de Vingança… não tá fácil mesmo.

      • Leandro Diniz

        O pior é que não, viu? As academias de polícia não ficaram imunes à revolução cultural. É a coisa mais comum policial que odeia a classe média e tem em seus círculos de amizade criminosos.

        Há até aqueles que gostam de ver apartamentos de luxo arrombados e dizem, sem pudor, bem feito.

        O Brasil é uma sucursal do Inferno.

        • Daniel Souza

          Em um programa passado discutimos justamente sobre isso, o perceptível discurso esquerdista de alguns policiais em entrevistas para a mídia.
          Citei o sindicato por essa ser uma ferramenta quem vem sendo eficaz para os revolucionários desde o movimento ludista.

  • Rafael Nunes

    A Nova Ordem Mundial ao meu entender só é estabelecido quando o poder armado estiver nas mãos dessas elites e das polícia globalista . distanciando a polícia da sociedade !

    • Roni Peterson Pinto Dias

      Já está implantada. Questão de tempo para o poder armado se concretizar.

      • Luiza Barbosa

        Só falta a liberação da prática sexual para crianças e o uso indiscriminado de drogas, como no livro.

    • Daniel Souza

      Não necessariamente.

      “A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão com a fuga.

      Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão”

      Aldous Huxley

      • Roni Peterson Pinto Dias

        Sim. Admirável mundo novo. Já estamos nele.

      • Roni Peterson Pinto Dias

        A força armada será para conter os “selvagens” que se rebelarem contra a nova ordem mundial,como está descrito no livro.

  • Daniel Souza

    “Vivemos no regime de estado de direito, pronto, falei”!

    • Luiza Barbosa

      Direito de ficar quieto enquanto é roubado.

    • Rodrigo

      Aquele texto do Dr. Heitor de Paola falando desse vagabundo foi revelador, na mira exata.

  • Plinio Brasil

    VERDADE ALEX ! ANUALMENTE NA SIRIA, Iraque, Afeganistão morrem menos pessoas por ano nas guerras nestes países que no BRASIL dito; “pacifico”.

    Brasil pacifico é MITO.

  • Rafael Nunes

    Alex e ouvintes da Rádio , vocês conhecem essa cidade ?

    • Daniel Souza

      Astana?

      • Rafael Nunes

        Cazaquistão será o grande exemplo do que teremos nos demais países pelo mundo ?

        • Plinio Brasil

          CAZAQUISTÃO É DEMOCRATURA SOCIALISTA. EXATO.

        • Daniel Souza

          Isso, aliás o ditador Nursultan Nazarbayev é ligado ao Putin.

      • Plinio Brasil

        ASTANA É A BRASILIA DO CAZAQUISTÃO. CAPITAL PLANEJADA NO MEIO DO PAÍS E NO DESERTO.

  • Luiza Barbosa
  • Roni Peterson Pinto Dias

    Estes dias ouvi o Alex dando um exemplo dos jovens de 20 e poucos anos fumando maconha em plena luz do dia,com cinco filhos,um de cada menina. É o que vejo por aqui. Um quadro aterrador. O estrago é de proporções inimagináveis.

  • Rodrigo
  • Luiza Barbosa

    Os políticos que se dizem de direita estavam na capital da Eurásia mês passado ( Cunha dentre eles). O Foro está consolidado, logo o PT já pode cair, afinal sua função de destruição da soberania já foi cumprida. As ordens virão do BRICS, passarão pelo Foro e entrarão vcs sabem onde. Haja Culargon.

    • Rodrigo

      A briga agora vai ser pra quem, do topo dos altos cargos do Brasil, vai ficar de 4 pra levar a piroca, com felicidade, do BRICS. Cunha, Lula, Dilma ou Aécio, qualquer um deles doidinho pra tal honrado cargo.

      • Luiza Barbosa

        Caso o PT caia, há diversos partidos , como o PDT e o PSB que integram o Foro. Russos e chineses enviam seus emissários, combinam o necessário, e os partidecos compram o apoio dos outros com os trilhões desviados e grana do narcotráfico. Além da ameaça de morte. É até bom pra eles que os partidos foristas sejam pequenos e vários, assim o povo não sabe quem são e caso um seja pego, outro continua.

  • Plinio Brasil

    R.G do Sul. PANDORGA = PIPA

    • Daniel Souza

      Especialista.

      • Plinio Brasil

        KKKK BRINQUEI MUITO NA INFANCIA. SEM CEROL. NUNCA USEI ESSA MERDA.

    • Veronica Ruzzi

      Floripa é PIPA

      • Plinio Brasil

        EM M.G NO NORTE DO ESTADO É PAPAGAIO.

        • Veronica Ruzzi

          Em S. Paulo idem

          • Plinio Brasil

            E NO NORDESTE?

          • Veronica Ruzzi

            não sei

  • Rodrigo
    • Luiza Barbosa

      São notórias as declarações de Seu Madruga sobre a preguiça de trabalhar. Sei pq vejo Chaves todos os dias.

      • Karina Martins

        É um clássico…

  • Rafael Nunes

    Parece que o Eduardo Cunha não está represendo a grande População https://www.facebook.com/UOLNoticias/videos/1170173342997480/?fref=nf

    • Daniel Souza

      Esse camarada é afilhado político do Collor.

  • Joelio Souza

    Puta merda!

  • Veronica Ruzzi

    Bom descanso a todos

  • Leandro Diniz

    Aqui em Minas Gerais é a mesma coisa. Os policiais civis, em geral, são petistas roxos. Votaram em massa no Fernando Pimentel. Diante do grande número de policiais civis que já completaram tempo de serviço para a aposentadoria, o Governo de Minas está dando um bônus de 45% sobre o salário de quem já pode se aposentar. Deve dar uns 5 mil reais, livre do leão – o salário líquido inicial de um policial civil deve estar na casa dos 3 mil. Com isso, haverá uma debandada geral quando o Governo sair, gerando um sério problema para a próxima administração.

    Mas não é só isso: a partir de agosto, todo bandido preso em flagrante poderá ser solto em até 24 horas, porque um criminoso não pode aguardar o julgamento (que demora anos) preso. Mais de 30 mil vagabundos estão hoje presos nessa condição. Muito provavelmente, serão liberados para aguardar o julgamento matando e roubando e praticando atos de terrorismo.

    É importante notar que tudo isso é deliberado: trata-se de uma política pró-crime, que abarca desde a esfera policial e judicial até a cultura de massa, com a glorificação do bandido, como o Prof. Olavo já explicou a exaustão.

  • abner

    Coloca no Sound Cloud